O que é margem bruta, para que serve e como calcular?

margem bruta da empresa em dinheiro

A margem de lucro bruta – também conhecida apenas como margem bruta – é um KPI financeiro essencial para avaliar a rentabilidade da sua empresa. Trata-se de uma métrica de análise para medir a porcentagem de lucro que a companhia gera com cada serviço prestado ou produto vendido.

Ou seja, a margem bruta é um dos indicadores chave para compreender se a organização está sendo lucrativa ou se está gerando prejuízo para os sócios e investidores.

Essa análise surge como ferramenta para encontrar se há produtos ou serviços que geram maior lucro para o caixa da empresa. Isso porque, em muitos casos, podem haver vendas mais lucrativas camuflando um prejuízo, por exemplo, que outro produto esteja criando para a operação.

Vale ressaltar que, no caso de serviços prestados, o que seria o custo de produtos vendidos, na maioria das vezes, está diretamente relacionado aos colaboradores e não aos produtos que se tem no inventário.

A análise da margem bruta pode te dar insights sobre sua estratégia e por isso é tão importante. Se ela determinar que certo produto é muito mais lucrativo que outro, é possível tomar decisões como o aumento de preço ou até mesmo descontinuar aquele tipo de produto oferecido

A margem bruta vai te ajudar a escolher os caminhos do seu negócio e a definir as táticas que serão usadas para conquistar o mercado.

Lembramos que existem, ainda, a margem líquida e a margem de contribuição, mas muito cuidado para não confundir esses três indicadores. Siga a leitura e entenda o que é, para quê serve e como calcular a margem bruta.

Para que serve a margem de lucro bruta?

É um indicador financeiro muito importante para gestores, administradores e possíveis investidores da organização. Tem a capacidade de revelar a quantidade de dinheiro obtido de vendas e que sobra para pagar as despesas restantes.

Logo, se a instituição não for capaz de produzir um lucro bruto satisfatório baseado nas suas vendas, problemas ocorrerão com os demais itens do DRE. Isso pode prejudicar o lucro líquido, seus processos financeiros e até mesmo a viabilidade do empreendimento.

Fora isso, as empresas que têm uma margem bruta alta exibem chances maiores de desenvolver as operações por meio de investimentos nelas, o que aumenta o valor para possíveis acionistas.

Infográfico - 7 passos simples para melhorar os processos financeiros da empresa.

Como calcular a margem bruta?

Para fazer o cálculo, você precisará ter em mãos outros dois KPIs financeiros da companhia: lucro bruto e receita líquida.

O lucro bruto é o resultado da subtração dos custos de um serviço ou produto (descontando os custos e despesas variáveis relacionados à produção) do valor da receita líquida.

Já a receita líquida é referente às vendas brutas depois de subtrair todos os descontos, devoluções, abatimentos e impostos sobre vendas.

Agora que explicamos brevemente sobre cada um desses itens, vamos às contas.

Para se chegar à margem bruta, divide-se o lucro bruto pela receita líquida. Geralmente, esse valor é menor que 1, e, por isso, multiplica-se por 100 para que possa ter um valor percentual.

Vale lembrar que esse número pode ser negativo se a organização operou no prejuízo nesse período de tempo.

Então, para calcular a margem bruta, usa-se a fórmula:

  • margem bruta = (lucro bruto / receita líquida) x 100

Exemplo de cálculo de margem bruta

Imagine que sua empresa obteve uma receita bruta de R$50 mil, mas que, para efetuar suas vendas, teve um custo de R$2.500,00 com matéria-prima, R$10 mil com mão de obra e R$5 mil com frete e armazenamento.

No caso citado acima, o lucro bruto é de R$ 32.500, mas é preciso encontrar a porcentagem de margem bruta da seguinte forma:

  • margem bruta = (R$32.500 / R$50.000) x 100 = 0,65 ou 65%

A diferença entre a margem líquida e bruta

A margem bruta indica o retorno, de forma percentual, que uma instituição atingiu com as vendas que fez. Para calculá-la, divide-se o lucro bruto pela receita líquida, que subtrai os custos envolvidos com a manufatura.

Sendo assim, uma margem alta indica alta lucratividade das vendas, entretanto, não da organização. A margem líquida, em contrapartida, indica o lucro líquido para um período definido ou para cada item vendido.

Dessa maneira, a margem de lucro líquido se refere à quantidade de dinheiro que sobra para o fundo de investimentos, sócios e investidores, depois de deduzir os encargos trabalhistas, tributos, matéria-prima, impostos, etc.

Otimizando processos com a ExpenseOn

Lidar com indicadores diariamente pode se tornar uma dor de cabeça para os gestores, ainda mais quando as informações necessárias para fazer isso estão perdidas em pilhas de papel ou em algum arquivo escondido no computador.

A ExpenseOn, por meio do Analytics, permite que você monte gráficos automáticos, crie personalizações conforme sua necessidade e exporte informações para ter uma visão completa dos seus gastos.

Já a integração contábil automatiza os lançamentos de suas despesas no seu sistema, o que te poupa de ter que fazer o mesmo registro mais de uma vez em lugares diferentes, o que traz muito mais comodidade e praticidade.

Quer saber como a ExpenseOn pode ajudar a revolucionar a gestão de despesas na sua empresa? Solicite uma demonstração gratuita agora mesmo.

O título em destaque é "Otimize a sua gestão de reembolso". Abaixo, lê-se "Escaneie notas fiscais, solicite adiantamentos, acompanhe aprovações em tempo real e muito mais" com o botão "Agendar demonstração".