Gestão financeira empresarial: o guia perfeito para gestores

tablet com dados de gestão financeira empresarial

A gestão financeira é o coração de todas as empresas. Independentemente do porte ou setor de atuação, trata-se da área responsável por gerenciar todos os recursos financeiros que movimentam a operação da companhia.

As atividades vão muito além de apenas contas a pagar e a receber ou o pagamento de impostos. É dever da gestão financeira propor e fazer acontecer um planejamento financeiro eficaz.

Ou seja, uma boa gestão é traduzida em um negócio lucrativo e saudável. Todo o dinheiro captado e o controle de gastos da empresa passam pela área, dependendo das tomadas de decisões corretas.

Para isso, porém, o gestor, assim como empreendedores e CFOs, precisam conhecer a fundo o conceito e tudo o que engloba o assunto. Só assim será possível organizar a gestão de modo a otimizar resultados e obter maior eficiência monetária para a companhia.

Preparamos esse conteúdo completo sobre a gestão financeira de empresas justamente para você. Nosso objetivo é compilar o assunto para proporcionar maior conhecimento e te auxiliar nessa jornada.

Aproveite a leitura e compartilhe esse conteúdo com os seus colegas de trabalho ou sócios que precisam entender a importância dessa prática para a companhia.

Confira abaixo todos os assuntos que serão abordados ao longo do texto.

O que é gestão financeira empresarial?

Em conceito, a gestão financeira empresarial é uma série de procedimentos e execuções envolvendo planejamento, gerenciamento e análise das atividades financeiras dentro da organização.

Isso significa que qualquer companhia que vislumbre uma operação lucrativa e equilibrada, com potencial de crescimento, precisa de uma boa gestão empresarial.

É claro que, para isso acontecer, é necessário aplicar diversas ações que vamos descrever abaixo junto ao desenvolvimento desse texto.

Entre elas estão um planejamento financeiro eficaz, o registro e monitoramento frequente de atividades, além de uma organização impecável para que tudo corra conforme o que foi idealizado.

Lembre-se: o conjunto de ações precisa ser executado de maneira correta para que os resultados positivos sejam colhidos mais à frente.

Para que serve a gestão financeira na empresa?

A gestão financeira serve para gerenciar e guiar a empresa em relação ao ativo financeiro. Para fazer isso, é preciso estabelecer métricas para que haja o entendimento de qual resultado é positivo e qual não é.

A ideia é identificar se a operação é lucrativa ou não e, em caso negativo, agir para reverter esse cenário. Para casos positivos, o objetivo será otimizar e melhorar os resultados.

No período analisado, o balanço foi de lucro ou de prejuízo? Onde estão as falhas e quais pontos devem ser otimizados para obter um trabalho equilibrado financeiramente?

Responder a essas perguntas passa por definir os indicadores mais relevantes para que os stakeholders possam tomar as melhores decisões visando os próximos passos da empresa.

O cenário será desenhado de acordo com os dados alimentados e colhidos pela gestão financeira, trazendo a realidade, necessidades e possibilidades à tona.

A importância da gestão financeira nas organizações

Uma boa gestão financeira é o pilar de diferenciação entre empresas lucrativas e aquelas que não prosperam a longo prazo.

Entre os benefícios de uma boa gestão estão:

  • Maior controle do fluxo de caixa;
  • Monitoramento do capital de giro;
  • Gerenciamento ativo de contas a pagar e a receber;
  • Eliminação de gastos desnecessários;
  • Entre outros.

A importância está diretamente ligada a dois indicadores fundamentais: lucros maiores e prejuízos menores. Isso, no entanto, não é tudo.

Preparar a organização para momentos de crise – a exemplo do que companhias pelo mundo inteiro viveram durante a pandemia da COVID-19 entre 2020 e 2021 – também pode ser um divisor de águas.

Só em 2020, segundo o IBGE, cerca de 716 mil empresas fecharam as portas no Brasil. É claro que ninguém esperava algo da magnitude que impactou o mercado, mas quantas delas possuíam uma boa gestão financeira e haviam se preparado para uma crise? Essa é uma pergunta difícil de ser respondida.

Também aqui em nosso blog, você pode conferir um conteúdo mais profundo sobre a importância da gestão financeira nas organizações.

O objetivo principal da gestão financeira

Acima falamos um pouco sobre a importância e também para que ela serve. Mas afinal, qual é o principal objetivo da gestão financeira?

É uma das grandes responsáveis pelo futuro da empresa. Do planejamento às ações e monitoramento de resultados, tudo passa pela área.

Investir em uma nova sede, renovar os equipamentos adquirindo máquinas de última geração ou até mesmo contratar uma equipe de profissionais para integrar um novo departamento são atividades que dependem da validação da gestão financeira.

São os gestores quem definirão se esse gasto é possível ou não. Como farão isso? Baseados em dados e informações guiados pelos indicadores definidos para análise do cenário monetário dentro da companhia.

O stakeholder precisa ter o apoio dos gestores financeiros para tomar as decisões certas nos momentos corretos. Um erro pode custar caro ao caixa da empresa e impactar diretamente toda a operação.

Leia também: 6 passos para montar uma ótima planilha de gestão financeira

O segredo para uma gestão financeira eficiente

O que difere uma gestão financeira eficiente de uma ineficiente é o envolvimento dos gestores na operação e a importância que os stakeholders dão a essa área. Isso porque muitos ainda pensam no departamento como apenas “pagadores de contas”.

A boa gestão está por dentro de tudo o que acontece na empresa. Só assim poderá planejar, agir e monitorar com o objetivo de reduzir gastos e aumentar a rentabilidade do negócio como um todo.

Listamos abaixo 4 passos simples que te ajudarão muito nesse momento de definições:

  1. Analisar o cenário atual e definir objetivos;
  2. Definir o melhor caminho para atingi-los;
  3. Colocar as ações corretas em prática;
  4. Acompanhar de perto os resultados.

Quer saber mais? Leia também nosso texto completo sobre o segredo para uma gestão financeira eficiente.

Quais são as funções e cargos da gestão financeira dentro de uma empresa?

Uma boa gestão financeira passa, necessariamente, por uma equipe qualificada e estruturada para que tudo esteja em ordem. Seja sua empresa grande ou pequena, há uma separação que deve ser seguida como modelo e adequada de acordo com a necessidade do acúmulo de funções.

Basicamente, podemos separar a gestão financeira em 4 funções principais:

Contas

Como o próprio nome já sugere, se refere aos profissionais responsáveis por todas as contas a pagar. São eles quem organizam a entrada e saída de capital do caixa.

Tesouraria

Enquanto Contas cuida do gerenciamento de pagamentos, a Tesouraria é quem atua para que tudo seja pago de acordo com o planejado. Eles pagam e recebem pagamentos definidos pelo departamento anterior.

Contabilidade

É a área que registra tudo o que acontece com o dinheiro da empresa. Nesse departamento ocorre a organização e documentação das movimentações de passivos e ativos para que tudo esteja sempre dentro do plano de gerenciamento financeiro.

Gestão de impostos

Se refere ao departamento que cuida das projeções e execuções para pagamento de impostos em dia. Diante da complexa malha tributária no Brasil, essa função se mostra ainda mais importante para garantir que não haja perda de ativos por multas e punições do fisco.

Saiba mais sobre as funções da gestão financeira e como montar uma boa equipe.

Erros comuns para evitar na gestão financeira

Com a equipe montada e suas atribuições bem definidas, chega a hora de prestar atenção à operação da área. Por isso, listamos alguns erros de gestão financeira que sua empresa não pode cometer se quer alcançar o equilíbrio de caixa.

Confira abaixo a lista:

  • Não registrar todas as movimentações financeiras;
  • Dispensar projeções financeiras;
  • Utilizar um sistema de gestão obsoleto;
  • Não definir metas financeiras;
  • Não dar a devida atenção à gestão tributária;
  • Não valorizar uma boa gestão de reembolso de despesas.

Cada erro está conectado a um risco que a companhia assume. Não valorizar o processo de reembolsos, por exemplo, pode significar prejuízo. Ou seja, dinheiro que poderia estar sendo investido em outra área ou até remunerando melhor seus colaboradores.

Novas tecnologias aplicadas à gestão financeira

Entre os erros citados acima destacamos o uso de um sistema obsoleto. Isso porque muitas empresas preferem não mudar seu modelo por simples comodidade, se fechando a oportunidades de melhoria na área.

Mas porque investir em novas tecnologias aplicadas à gestão financeira?

A transformação digital já é uma realidade dentro do setor, e quem não se adequar vai ficar para trás. Esqueça o excesso de tarefas repetitivas ou a chance de perder relatórios e planilhas. A tecnologia trouxe diversas possibilidades para facilitar a vida dos profissionais no financeiro.

Entre as otimizações, por exemplo, está um fluxo de caixa muito mais ágil e eficaz. Há sistemas capazes de validar todos os registros e assegurar todo o ativo da empresa, fornecendo relatórios automatizados rapidamente

transformação digital gestão financeira

O processo de reembolso de despesas também é outro que ganha – e muito! – com a inclusão de novas tecnologias. Nosso software ExpenseOn traz benefícios como a digitalização de recibos e armazenamento em nuvem, gerenciamento de solicitações e um aplicativo completo para uso dos colaboradores.

Quer saber mais? Solicite agora mesmo uma demonstração gratuita e saiba como podemos ajudar a transformar o processo de reembolso de despesas dentro da sua companhia.

3 tendências para uma gestão financeira moderna em 2021

O grande desafio da gestão financeira nas empresas para 2021 é unir a tecnologia a recursos humanos criativos. Sendo assim, listamos três tendências principais para conseguir implementar essa sinergia com sucesso.

Paperless

Cada vez mais, as empresas vão investir na digitalização e reduzir o uso do papel. O conceito Paperless tem como objetivo apresentar todos os benefícios dessa prática e mostrar aos gestores como pode ajudá-los em vários âmbitos da operação.

Entre as vantagens estão a redução de custos com papel. Além disso, elimina gastos com cartuchos e toners de impressora e ganha espaço físico, uma vez que não há necessidade de salas para arquivos, por exemplo.

Companhias paperless ainda ganham em aumento de produtividade. Com documentos e procedimentos digitalizados, fica mais fácil organizar informações e disponibilizá-las aos colaboradores que precisarem.

Por fim, mas não menos importante, está uma maior segurança para documentos internos. Deixando de lado os arquivos físicos, a companhia pode gerenciá-los virtualmente, protegê-los com criptografia e monitorar um log de hierarquia para definir quem pode, ou não, ter acesso a eles.

Inteligência artificial

Usar algoritmos inteligentes já não é coisa do futuro. Empresas já estão se aproveitando dessa tecnologia para melhorar seus resultados, e com a gestão financeira não é diferente.

O alto volume de dados faz com que seja praticamente inviável que uma pessoa cuide dessa análise. Assim, a inteligência artificial entra em cena para reduzir a chance de riscos e facilitar o entendimento dos indicadores essenciais para a operação.

LGPD e Compliance

O financeiro é o responsável por guardar as informações mais valiosas sobre clientes, colaboradores e parceiros. Uma falha de segurança, no entanto, pode abalar a relação de confiança e, em breve, até acarretar problemas para a companhia. 

A nova Lei Geral de Proteção de Dados já está em vigor e as sanções começarão em agosto deste ano. Até lá, é preciso que a gestão financeira se adeque para garantir que não haverá riscos de punições ou multas.

Quer saber mais? Acesse nosso conteúdo especial de tendências de gestão financeira e conheça todas as principais para 2021. 

Métricas financeiras: as grandes guias para uma boa gestão financeira

“Não se gerencia o que não se mede”. Essa frase é de Edwards Deming, conhecido também como um dos ‘Gurus da Qualidade’.

Dentro da gestão, as métricas são indispensáveis para empresas que precisam acompanhar informações e resultados para otimizá-los. Trata-se dos principais indicadores para medir o desempenho financeiro da companhia em diversos aspectos.

Entre as métricas mais usadas para mensuração estão:

  • Fluxo de caixa;
  • Receita bruta e receita líquida;
  • Custo fixo e variável;
  • Custo de aquisição por cliente;
  • Lucratividade;
  • Despesas por centro de custo.

Para saber como melhorar seus resultados é preciso saber como você vai defini-los em positivo ou negativo. Saber o que medir e como medir será o primeiro passo antes de começar a mensurar a consequência – benéfica ou não – das ações realizadas.

Como a ExpenseOn ajuda empresas a alcançarem uma melhor gestão financeira?

Nossa ferramenta de gestão de reembolsos conta com facilidades que vão da digitalização de despesas, armazenamento de arquivos em nuvem e um sistema integrado para facilitar o gerenciamento aos gestores.

Com nossa tecnologia, fica mais fácil gerir a aprovação de despesas de maneira integrada ao seu ERP ou sistema de gestão. Aproveite ainda para emitir relatórios digitais, agilizando os processos financeiros e beneficiando todos os envolvidos.

Solicite uma demonstração gratuita agora com um de nossos consultores e saiba mais sobre como podemos ajudar sua empresa a realizar uma gestão financeira eficiente.

Agende uma demo expense on