Os 5 principais desafios da gestão financeira em uma empresa

gestao financeira na empresa

A gestão financeira é uma das áreas mais importantes dentro de qualquer empresa, independentemente do porte.

É onde os gastos são controlados, planejamentos são traçados e validados visando a boa saúde financeira da companhia e uma operação lucrativa.

No entanto, também é onde encontramos alguns dos principais desafios para que o negócio prospere. Na maior parte das vezes, enfrentando metodologias ultrapassadas e sistemas nada funcionais.

Equilíbrio de contas, análise de investimentos internos, contratações, desenvolvimento de novas áreas e produtos, entre outros. Essas são algumas tarefas realizadas pelo financeiro, que poderiam ser otimizadas com algumas soluções simples.

Um gestor financeiro precisa estar preparado e ter diversas habilidades para enfrentar os desafios diários, mas há algumas soluções que ajudam muito nessa jornada.

É por esse motivo que preparamos uma lista com os 5 principais desafios da gestão financeira que muitos enfrentam ou já enfrentaram. Acompanhe a leitura a seguir.

1. Processos defasados de gestão

A área financeira é uma das mais antigas e tradicionais no ambiente corporativo. Isso faz com que, muitas vezes, os processos sejam ultrapassados e pouco eficientes pensando no momento atual.

Muitos processos podem ser substituídos facilmente por soluções melhores, como substituir tarefas repetitivas por automações, ou até mesmo em casos extremos eliminar processos analógicos e trazer para a realidade do digital.

Emissão de notas, recibos e mesmo comprovantes de pagamento já podem ser todos emitidos digitalmente, ganhando muito mais tempo e também espaço físico com a maioria dos documentos na nuvem.

É possível trazer resultados muito expressivos ao rever processos e atualizar a operação financeira como um todo.

 A grande barreira, nesse caso, é convencer a diretoria de que a mudança é necessária e que trará mais resultados.

Porém, há algumas maneiras de contornar essa situação e mudar os processos internos.

Dependendo do nível de influência do gestor, os resultados podem ser apresentados na prática. A ideia é aplicar as mudanças necessárias na operação e depois de certo período apresentar os resultados.

Contra dados não há argumentos, é muito improvável que qualquer organização não aceite mudanças que já estão dando resultados.

2.    Falta de tecnologia

Assim como no exemplo acima, de processos defasados, muitas empresas ficam perdidas no tempo. Sem se atualizar, acabam atrás dos concorrentes que implementam soluções tecnológicas no setor financeiro visando otimização de resultados e facilitação de afazeres.

Ou seja, ao introduzir a automação que a tecnologia oferece ao departamento – tanto para o gestor quanto aos outros colaboradores – mais tempo para tarefas estratégicas.

Há diversas ferramentas que ajudam a reduzir a quantidade de atividades repetitivas. Em vez de colaboradores as realizando, soluções automatizadas facilitarão processos que muitas companhias ainda realizam de forma mecânica.

Ao automatizar esse tipo de tarefa, os colaboradores ganham mais tempo para as tarefas que realmente importam.

Outros benefícios de ferramentas tecnológicas na gestão financeira trazem:

  • Controle do fluxo de caixa
  • Otimização de tempo
  • Projeções mais claras
  • Gestão de despesas mais segura

Parece interessante, não é mesmo? Então promova a transformação digital o mais rápido possível dentro da sua empresa e automatize o que for necessário.

3.    Gestão de pessoas

Gerenciar pessoas é um grande desafio natural dentro da organização, e no financeiro não é diferente. Trata-se de uma responsabilidade fundamental, uma vez que o departamento depende de todos os colaboradores para que os objetivos sejam alcançados.

Por isso, o gestor deve ter um olhar analítico e empático para direcionar cada colaborador.

Quem é a pessoa ideal para cada tarefa? Quanta carga de trabalho aquele funcionário aguenta? Como posso ajudá-lo a desempenhar seu melhor aqui na empresa? Essas são algumas das perguntas que você precisa responder ao gerenciar pessoas.

Além disso, é necessário entender todos os objetivos e fazer com que todos também os tenham em mente. O foco deve ser sempre entregar o melhor resultado visando a saúde da operação.

4.    Projeções e planejamento

O setor financeiro precisa sempre ser o mais organizado e detalhista possível. Qualquer erro pode significar custos adicionais ao caixa. Por isso, cada detalhe importa.

As projeções entram justamente para dar a segurança na tomada de decisão. Com cálculos preditivos é possível estimar com precisão como serão os gastos e ganhos no futuro, dando a possibilidade de prever os próximos passos.

O planejamento é baseado nas projeções. Ao ter a estimativa de todo o dinheiro que entrará e sairá da empresa em um determinado período, o gestor e os diretores podem planejar o caminho a ser seguido.

Com esses dados em mãos fica muito mais fácil se preparar. A diretoria passa a ter informações importantes sobre sazonalidade, faturamento, entre outras métricas importantíssimas para manter a operação segura e lucrativa.

5.    Cobrança de inadimplência

Você provavelmente já ouviu a frase: a empresa não é nada sem seus clientes. No entanto, a realidade vai um pouco além disso. Uma empresa não é nada sem o consumidor que paga em dia.

Com o aumento do endividamento do brasileiro ao longo do último ano, a inadimplência também cresceu. Isso significa que, se o assunto não for tratado com cautela, pode gerar prejuízos importantes para o caixa, e ninguém quer isso, não é mesmo?

Um cliente que gera receita recorrente deixa de pagar pelo serviço, outro acaba atrasando parcelas e é o gestor que precisa realizar manobras para que isso não afete a operação.

Lidar com a inadimplência, no entanto, não é nada simples. A cobrança ao consumidor pode gerar desconforto ou até alguns transtornos, mas é mais do que necessária. Por isso, é fundamental traçar um plano de ação para evitar problemas no momento de cobrar e recuperar os inadimplentes.

Crie um processo com ações estruturadas para resolver o problema. Defina métodos de renegociação, cobrança ativa e até mesmo representações judiciais em ocasiões mais extremas.

Aprender a trabalhar a inadimplência é um desafio que a maioria dos gestores financeiros encontrarão em algum momento da carreira. Se você ainda não viveu essa situação, prepare-se, pois um dia provavelmente irá se deparar com ela.

O que o gestor financeiro precisa para ser um bom profissional?

Como você viu acima, os desafios da gestão financeira não são nada simples. Um bom gestor, porém, consegue superá-los quando possui as habilidades necessárias.

Além dos conhecimentos teóricos e práticos, também é preciso desenvolver o perfil de líder. Ao comandar todo – ou parte – do departamento, esse profissional deve saber como lidar com os percalços do dia a dia em busca dos resultados.

Também vale destacar a disciplina, organização e foco. Uma vez que o gestor é responsável pelo ativo, erros podem impactar diretamente na operação e causar prejuízos para a saúde financeira.

Só assim será possível objetivar o que todas as empresas buscam: eliminar custos desnecessários, reduzir gastos com pouca importância e aumentar a lucratividade da companhia investindo onde realmente há impacto para o negócio.

Aqui na ExpenseOn, temos o objetivo de otimizar os processos de reembolso de despesas para torná-los mais seguros e eficientes. Nos dedicamos a gerar soluções criativas através de meios modernos em cada um dos nossos pilares, utilizando a tecnologia para facilitar o dia a dia de empresas e funcionários.

Quer saber mais sobre como podemos ajudar? Clique aqui e solicite uma demonstração gratuita da ExpenseOn.