Como evitar a inadimplência e seus impactos no fluxo de caixa

Gestores discutindo como evitar a inadimplência

Você sabia que o Brasil conta com quase 70 milhões de pessoas em situação de inadimplência? Quase um terço da população tem, ao menos, uma dívida pendente, o que afeta diretamente o fluxo de caixa das empresas. Nesse cenário, precisamos refletir: como evitar a inadimplência e garantir a saúde financeira do negócio?

Neste artigo, iremos revelar boas estratégias para reduzir os inadimplentes e otimizar o seu fluxo de caixa. Acompanhe a leitura!

Afinal, o que é fluxo de caixa? Por que devo mantê-lo saudável?

Seja uma loja de bairro, um grande varejo ou uma consultoria internacional, toda empresa precisa de um fluxo de caixa consistente e bem controlado. Ele representa a proporção entre o dinheiro que entra (receita) e o dinheiro que sai (despesas) no mês.

Quando uma pessoa compra um produto ou serviço, geralmente mais de uma opção de pagamento lhe é apresentada. No caso dos parcelamentos e compras a prazo, o cliente pode atrasar ou simplesmente não pagar — o que interfere diretamente na expectativa do que entraria no caixa da empresa.

Por outro lado, os custos continuam (ou aumentam), e logo a conta não bate. Uma empresa que recebe menos do que gasta “negativa” o fluxo de caixa do mês, e a dor de cabeça é grande, já que isso vai impactar o mês seguinte.

E quando um fluxo de caixa é negativo, as consequência são diversas: falta de produtos na prateleira, dificuldade em pagar os funcionários, perda de prioridade com clientes e fornecedores e, nos casos mais graves, até mesmo a falência.

Nesse cenário, evitar a inadimplência é fundamental, visto que os “maus pagadores” representam um percentual significativo num eventual fluxo de caixa inoperante.

Inadimplência: o que ela representa e como afeta o fluxo de caixa

Um cliente que não paga suas dívidas em dia passa a ser considerado inadimplente, e a empresa pode acionar as cobranças devidas com a ajuda dos órgãos de proteção ao crédito.

Em teoria, não há tempo mínimo para uma pessoa se tornar devedora e ter seu “nome sujo”. Mas, quando o assunto é fluxo de caixa, uma dívida com mais de 30 dias já pode ser considerada um grande prejuízo.

Uma boa forma de entender o impacto da inadimplência no seu fluxo de caixa é calculando a sua Taxa de Inadimplência. Basicamente, você reúne todos os débitos em aberto nos últimos 90 dias (vamos chamar de T90) e divide o valor pelo total de cobranças exercidas no mesmo período — no caso, representado por TC.

Taxa de inadimplência = T90 / TC

Um exemplo: nos 3 meses anteriores, uma empresa teve um total de R$5.000,00 em boletos atrasados. As vendas a prazo totalizaram R$100.000,00. Ao dividir os valores, teremos o percentual de 5%.

Daria para dizer que, a cada 100 clientes, cinco não pagaram o que deviam no prazo estipulado. Ao ter uma visão completa desses números, fica muito mais fácil construir o que chamamos de gestão da inadimplência.

A importância de uma Gestão da Inadimplência

Devemos partir do pressuposto de que ninguém quer ficar devendo. Em situações de crise financeira e desemprego, fatores que nem sempre controlamos, muitas pessoas acumulam dívidas. 

Os inadimplentes são, na grande maioria, clientes que estão passando por dificuldades momentâneas. Ou seja, manter um bom relacionamento com esse grupo é a garantia de que, no futuro, eles serão clientes fiéis e gratos.

Numa boa gestão de inadimplentes, certas práticas fazem toda a diferença:

  • Acompanhe as contas atrasadas, diariamente. Quanto menor o tempo de atraso, mais fácil a negociação com o devedor — visto que o juros ainda não transformou a dívida numa bola de neve.
  • Atualize, sempre que possível, os dados de contato dos clientes. Um número de telefone errado pode fazer a diferença entre uma dívida recuperada ou um CPF negativado por meses.
  • Utilize a tecnologia ao seu favor! Sabemos o quão difícil é alguém atender o celular hoje em dia, ainda mais com tantos golpes e fraudes. Invista na comunicação amigável por chatbots, WhatsApp e Email, por exemplo.

Entender o perfil do consumidor também é um diferencial competitivo: 25% dos inadimplentes brasileiros são pessoas na faixa etária de 26 a 40 anos, um público exigente quando o assunto é pagamento. 

Oferecer meios alternativos e mais flexíveis, como o Pix e o Boleto Parcelado, além de descontos nas quitações à vista, pode reduzir a inadimplência desse perfil.

Garanta um bom fluxo de caixa com a baixa inadimplência

Além das práticas de como evitar a inadimplência, você também pode fortalecer o seu fluxo de caixa seguindo algumas estratégias de negócio:

  1. Crie uma régua de cobrança

Sua empresa pode ter públicos diferentes, com rendas e consumos distintos. Quando você cobra de forma assertiva, as chances de inadimplência diminuem. As despesas também diminuem quando você troca uma ligação por um SMS. Pense nos intervalos ideais de cobrança — como nos dias anteriores ao vencimento de uma fatura — e utilize o canal ideal, aumentando a confiança do seu cliente.

  1. Nunca esqueça da Nota Fiscal (física e eletrônica)

Além de ser obrigatória por lei, a Nota Fiscal oferece a segurança jurídica para sua empresa no ato de compra. Ela é a prova final de que um débito foi gerado e pago, seja à vista ou parcelado. Você também pode investir em promoções através da NF, aumentando a reputação e incentivando os clientes a comprar mais, o que é excelente para o seu fluxo de caixa.

  1. Tenha uma reserva de emergência

Imprevistos acontecem. A pandemia talvez tenha sido o maior aprendizado das empresas na hora de honrar compromissos e manter o fluxo de caixa consistente. Sempre que puder, reserve uma parte da receita para despesas inesperadas e inadimplências sazonais.

  1. Faça uma boa análise de crédito

Por melhor que seja a sua gestão de inadimplentes, a principal maneira de controlar esse indicador é preventiva. Por isso, uma boa análise de crédito é fundamental para analisar se o possível cliente tem um bom potencial de cumprir com o pagamento combinado ou se é um devedor contumaz. 

Invista em segurança financeira e inteligência de dados

Não é fácil manter a inadimplência e o fluxo de caixa sob controle, mas é possível. 

Com as dicas deste artigo, você terá maior confiança para instaurar boas políticas de crédito e treinar uma excelente equipe de Vendas e Atendimento.

Sobre a AssertivaA Assertiva é especializada no ciclo de crédito das empresas, com soluções que vão desde a análise de crédito até a cobrança. Conheça as soluções da Assertiva e descubra como descomplicar o ciclo de crédito na sua empresa.

Esse artigo foi escrito em parceria com a Assertiva Soluções.

Flash Expense Help Chat
Enviar via WhatsApp