O que é análise de custo e como fazer corretamente?

Gestor segurando papel na frente de computador com gráficos fazendo análise de custos

Um dos maiores desafios da gestão financeira é aproveitar seus recursos da melhor forma possível. No entanto, para isso, é preciso estar atento a todos os detalhes e realizar verificações periodicamente para checar a saúde financeira do negócio. Ou seja, colocar em prática a frequente análise de custos.

Esse estudo verifica como os custos se comportam, permitindo assim, encontrar pontos de melhoria visando a saúde financeira da companhia. Ao longo deste conteúdo, vamos explicar sobre esse recurso da gestão financeira, qual sua importância, os benefícios e como realizá-la de forma correta. 

O que é análise de custos de uma empresa?

A análise de custo é uma estratégia de custeio, onde é possível ter um conhecimento exato sobre os gastos da produção de bens e serviços em um determinado período. 

Os três métodos de custeio mais utilizados para realizar essa análise são: custeio direto, custeio por absorção e custeio baseado em atividades. 

É essencial que essa checagem esteja sempre ligada ao planejamento e controle da operação, para entender se o objetivo pode ser alcançado de forma que a rentabilidade não seja colocada em risco. 

A tomada de decisão se torna mais segura depois desse estudo, afinal, a gestão tomará as decisões baseada em dados reais e confiáveis

Quais são os maiores benefícios dessa análise?

A análise de custo é fundamental para o bom andamento da empresa, afinal, é ela que irá fornecer informações importantes sobre a operação. Qual o desempenho das ações realizadas, qual a situação financeira da empresa, etc. 

Também é necessária para traçar os próximos passos da empresa: com ela, é possível tomar decisões mais assertivas

Porém, essa verificação pode ser uma faca de dois gumes: se mal realizada, ela pode afetar negativamente a organização. Afinal, estamos falando do ponto mais sensível, o financeiro, e ela pode reduzir a produtividade, interferindo nos custos e lucros. 

Por outro lado, quando bem feita, a gestão financeira é beneficiada diretamente pela avaliação feita. Ela torna o sonho de qualquer negócio real: diminuição dos custos e aumento da lucratividade

Além disso, podemos pontuar como benefícios desse processo, a agilidade no diagnóstico financeiro, a chance de lidar com dados mais precisos, a classificação correta dos custos e a melhor distribuição de recursos. 

Tipos de custos 

Durante a análise serão avaliados quatro tipos de custos: diretos, indiretos, fixos e variáveis. 

Custos diretos

Os custos diretos são os custos que a empresa terá com seus produtos e serviços. Para o cálculo desses custos estão incluídos itens como material para a matéria-prima, mão de obra contratada, etc. 

Custos indiretos 

Os custos indiretos não estão conectados diretamente com o objetivo da empresa, mas são sim indispensáveis para alcançá-los. Trata-se dos custos de água, luz, internet, limpeza, segurança, etc. 

Custos fixos

Os custos fixos se referem aos custos que estão sempre presentes, com uma periodicidade certa – por exemplo, uma vez por mês – e sofrem pouca ou nenhuma variação mesmo que o volume de produção aumente ou diminua.. 

Isso não significa necessariamente que os custos fixos terão sempre o mesmo valor, mas sim que eles sempre estarão presentes na planilha de gastos com valores próximos. Alguns desses custos são aluguel, salário de funcionários, etc. 

Custos Variáveis

Diferente dos custos fixos, os custos variáveis sofrem alterações conforme o volume de vendas ou produção muda.. 

Podemos usar como exemplo de custos variáveis a própria matéria prima, já que sua quantidade irá mudar de acordo com a necessidade de produção.

Se quiser calcular custos fixos e variáveis de forma simples, rápida e objetiva, baixe nossa planilha e calculadora de custos fixos e variáveis. Ela é simples e prática de usar com espaços editáveis para atender todas as necessidades.

Importância da análise de custo

Esse estudo, quando feito com atenção, é essencial para que o gestor tome decisões mais assertivas e com confiança. As escolhas serão tomadas com base em dados seguros e atualizados, garantindo ao gestor maior segurança.

Fora isso, sabendo de todos os custos envolvidos no processo de produção, é possível negociar com maior objetividade, pois a contabilidade e o estudo feito permitirão maior entendimento do negócio. 

Como fazer uma boa análise de custos?

Para realizar essa checagem, é necessário seguir alguns passos. Afinal, é por essa avaliação que a empresa irá visualizar seus lucros, sua capacidade financeira, etc.

Defina a unidade de estudo

Quando falamos em análise de custo, automaticamente pensamos nos custos financeiros, e geralmente são eles que são analisados. Porém, isso não é uma regra. 

Outros fatores também podem ser verificados, como tempo, energia, e outras variáveis que não sejam apenas financeiras. Portanto, o primeiro passo para essa verificação acontecer é justamente definir qual custo será analisado.

Estabeleça o objetivo

Qualquer análise de custo tem um objetivo em comum: demonstrar se houve mais perdas do que ganhos. Porém, para que ela seja bem feita é necessário definir se esse é o objetivo principal ou o único objetivo.

Com os objetivos estabelecidos, é possível levantar as informações corretas e analisá-las de acordo com o seu objetivo.

Entenda onde estão os custos 

Após identificar quais são os custos fixos e variáveis, indiretos e diretos, é necessário identificar onde eles são aplicados dentro. 

Para essa identificação é necessária uma visão panorâmica da organização, reconhecendo todos os custos envolvidos e identificar quais são os custos dispensáveis e não agregam valor à produção – dessa forma é possível ajustá-los para que eles possam agregar valor.

Defina o método de custeio que será utilizado 

Existem três métodos de custeio, e é necessário escolher algum deles para que seja possível fornecer em detalhes e de forma periódica informações. Planilhas e registros organizados da situação financeira da organização são feitos através deles.

Custeio por absorção

Esse método irá considerar todos os custos envolvidos na produção: fixos, variáveis, diretos ou indiretos. Então, os gastos são distribuídos ou rateados por todos os produtos, serviços, etc. 

Custeio direto ou variável

O método consiste em considerar apenas os custos diretos de produção e/ou de um determinado período. O objetivo do método é separar, de forma objetiva, quais são os custos fixos e quais são os custos variáveis. 

Custeio baseado em atividades

Também conhecido como método ABC, a gestão de custos feita dessa forma considera as atividades que a empresa realiza durante o processo de produção. 

Dessa forma é possível alocar com maior precisão os custos indiretos, atribuindo cada custo à sua atividade correspondente na produção. 

Como facilitar sua análise de custos?

Uma boa análise de custo irá revirar todos os gastos, entradas e saídas de dinheiro da sua empresa e sabemos que esse processo não é rápido.

Afinal, são papéis e mais papéis envolvidos no processo. Folha de pagamento, notas fiscais, reembolsos, etc. São horas perdidas analisando papéis que poderiam estar a um click de distância. 

Sendo assim, a Flash Expense traz todas as soluções necessárias para auxiliar na gestão de despesas corporativas.

Sem planilhas complicadas, notas fiscais físicas, relatórios sobre os gastos. A plataforma da Flash Expense emite relatórios em poucos segundos, digitaliza recibos e muito mais! Dessa forma sua análise de custos será muito mais rápida e eficiente. 

Quer saber mais sobre como a Flash Expense pode te ajudar? Solicite uma demonstração gratuita e conheça tudo o que podemos fazer por você.

Flash Expense Help Chat
Enviar via WhatsApp